sexta-feira, 16 de março de 2018

QUEM INVENTOU AS PÍLULAS



Quem inventou as pílulas?

As descobertas das causas das doenças infeciosas no final do Século XIX, ocorreram paralelo a revolução da indústria química. O sonho da medicina era encontrar uma “pílula mágica”, uma substância química, que destruísse o germe invasor, sem afetar o hospedeiro. Isso parecia um milagre, uma cura bíblica. O cientista alemão Paul Ehrlich descobriu que corantes têxteis tinham afinidade por células diferentes, e passou a pesquisar se algum produto químico era capaz da façanha de destruir o germe, sem matar o hospedeiro.

Em 1899, Paul Ehrlich passou a procurar uma droga que matasse seletivamente o tripanosoma causador da doença do sono. Em 1909, depois de testar mais de novecentos produtos, Ehrlich resolveu testar o 606, um composto a base de arsênico, o Salvarsan, na eliminação da Spirocheta pallida (nome antigo do Treponema pallidum), causador da sífilis. Na prática, o Salvarsan só era eficaz contra a sífilis primária. Somente em 1935, a Bayer apresentou as sulfanilamidas, eficazes no tratamento das infecções por estafilococos e estreptococos. A penicilina, descoberta em 1928, por Alexander Fleming, não foi possível a sua produção em larga escala, em 1944, num esforço de guerra. As empresas Merck, Squibb e Phizer conseguiram produzir a penicilina em larga escala. No início da década de 1950, a penicilina já era vendida em Aracaju.

Em 1922, a empresa Eli Lilly descobriu como extrair a insulina das glândulas pancreática dos animais, permitindo um tratamento eficaz do diabetes. No inicio de 1950, os cientistas tinham aprimorado as sínteses de substâncias químicas, produzindo melhores anestésicos, sedativos, anti-histamínicos e anticonvulsivantes. No final do século XIX, a Bayer patenteava a aspirina.  No-pós II Guerra, a produção de medicamentos químicos deixava de ser artesanal e tornava-se um ramo da indústria.
Antônio Samarone.