domingo, 25 de junho de 2017

SILVÉRIO FONTES - SOCIALISMO NO BRASIL



Silvério Martins Fontes (1858 – 1928), sergipano de São Cristóvão, médico, formado no Rio de Janeiro em 1881. Filho de José Martins Fontes, Juiz Municipal, Procurador da Tesouraria Provincial e Deputado da Assembléia Legislativa de Sergipe por seis legislaturas consecutivas; e dona Francisca Xavier Gomes Fontes. Teve nove irmãos, sendo Silvério o mais velho. Silvério aprendeu as primeiras letras em Aracaju, onde realizou os preparatórios. Depois, mudou-se para Salvador, onde ingressou na Faculdade de Medicina da Bahia e cursou os primeiros anos do curso médico. Em seguida transferiu-se para a Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, onde concluiu o curso e defendeu tese inaugural sobre Infecção Hospitalar. A escolha do tema demonstra que ele viveu muito à frente do seu tempo. Ninguém, naquela época, imaginava a importância das infecções adquiridas no meio hospitalar.

Depois de formado, em começo de 1882, iniciou a clínica na cidade de Santos, (S. Paulo) onde fixou residência. Foi nomeado médico da Santa Casa de Misericórdia, onde permaneceu até 1901, quando pediu exoneração, fazendo reverter os seus ordenados em favor dos cofres daquela pia instituição. Em 1902 foi eleito Presidente da Santa Casa, cargo que exerceu com o critério que sempre manteve nos atos de sua vida. Sócio fundador do Congresso Brasileiro de Medicina e Cirurgia. 

Em 1889, Santos sofreu com uma grave epidemia de febre amarela, com mais de 700 óbitos. O Dr. Silvério Fontes teve participação destacada no combate a enfermidade. Segundo Josué Modesto, no final do século XIX Santos precisava de mão de obra. Em 1892 veio a Sergipe um aliciador em busca de quatrocentos trabalhadores para tocarem a obra de de reforma e construção do Porto de Santos.
Além de médico e jornalista, foi um intelectual e sociólogo que reunia em sua residência homens cultos e inteligentes, republicanos e abolicionistas. Homem de grande Inteligência e erudição, gozou de notável prestígio na cidade santista. Fundou o Centro Socialista de Santos. e o jornal “A Questão Social”. Tornou-se em pouco tempo divulgador do socialismo em nosso país. Escreveu “Manifesto Socialista”, de repercussão nacional. Colaborou em todos os jornais socialistas do País, especialmente no “O Socialista”; na “Evolução”: periódico científico, literário e noticioso em Santos. A Questão Social, órgão do Centro Socialista de Santos, fundado em 15 de novembro de 1895 por Sóter de Araújo, Carlos Escobar e Silvério Fontes. Com objetivos da divulgação do socialismo e formação de um Partido Socialista - junto com a Sociedade União Operária e o Partido Operário. O Centro promovia palestras sobre socialismo científico e organizou uma biblioteca para seus associados, propondo que seu jornal fosse quinzenal - o que nem sempre ocorreu.

O Centro Socialista de Santos, além de ser o primeiro pólo de discussões socialistas no país, foi o promotor da comemoração do 1º de Maio pela primeira vez no Brasil, em 1895. A ideia surgiu em uma reunião de socialistas e anarquistas em abril desse ano - por eles pomposamente denominada "II Conferência dos Socialistas Brasileiros" -, que decide aprovar as resoluções do Congresso de Paris de 1889 e comemorar o 1º de Maio. Silvério Fontes foi médico, abolicionista, republicano, socialista, humanitário, intelectual, jornalista organizador. Estes adjetivos serão poucos para descrever o sergipano Silvério Martins Fontes, pensador atuante de sua época, fazendo presentes e debatidas as pungentes questões sociais.

Astrogildo Pereira, militante anarquista e um dos convertidos ao socialismo autoritário, fundador do PCB em 1922, escreveu um livro intitulado Silvério Fontes - Pioneiro do Marxismo no Brasil. Nele, comenta que a passagem de Silvério do positivismo para o socialismo foi bastante fácil. O médico sergipano Silvério Fontes é pai do poeta, médico e anarquista José Martins Fontes, patrono da cadeira 26, da Academia Paulista de Letras.