domingo, 9 de julho de 2017

O TAMANHO DE SERGIPE


O Tamanho de Sergipe.

A Capitania de Sergipe d’El-Rey abrangia as cinquenta léguas contadas da margem direita do Rio São Francisco, doadas inicialmente a Francisco Pereira Coutinho, e que terminava entre os Rios Pojuca e Sabahuma, distante vinte léguas da Baia de Todos os Santos. A confusão começou porque Coutinho se estabeleceu na Baia de Todos os Santos, já ocupada por Caramuru, com a povoação de Villa Velha. Por desconhecer a área que lhe pertencia, Coutinho durante os onze anos que passou por aqui só explorou o que não era seu. A sua comitiva chegou em 1536 e Coutinho foi devorado pelos tupinambás na Ilha de Itaparica em 1547.

Com a nomeação de Tomé de Souza primeiro Governador, em 07/01/1549, foi criada a Capitania Geral da Baia de Todos os Santos, que abrangia seis léguas em quadro em torno da povoação do Salvador que seria fundada por Tomé de Souza. Essa Capitania de Todos os Santos tornou-se a sede do Governo Geral instituído. O erro proposital que os historiadores baianos difundiram é que a Capitania Geral da Baia de Todos os Santos era a mesma Capitania de Francisco Pereira Coutinho, erro que alguns historiadores sergipanos repetem até hoje, pois essa tese facilitou ao longo dos séculos o avanço da Bahia.  

Com a morte de Coutinho, a família não teve condições de continuar a exploração, tendo a Capitania ficado intocada por longo anos. Somente a partir de setembro de 1573, quando a Coroa compra a Capitania de Coutinho, é que é dado ao Governador Luiz de Brito ordem para explora-la, resultando na fracassada expedição de 1575. O território da Capitania de Coutinho só veio a ser conquistado em definitivo pelos portugueses em 1590, recebendo o pomposo nome de Capitania de Sergipe d’El-Rey.

Facilitando para quem achou o texto confuso, o litoral da Capitania de Sergipe quando criada em 1590, possuía uma extensão de 300 Km (50 léguas), começando na foz do Rio São Francisco, e foi reduzido ao longo do tempo aos atuais 163 Km, com o progressivo avanço da Bahia. Sem esquecer o avanço na área equivalente ao sertão de Jeremoabo. 

Claro, essa polêmica das fronteiras está ultrapassada, quem perdeu, perdeu, não tem mais jeito. Ocorre, que essa polêmica ainda está rolando a nível de Assembleia Legislativa de Sergipe, pois a Bahia achou pouco e ainda está querendo avançar mais uma beirinha, rediscutindo município por município.  
Antonio Samarone.