sábado, 24 de setembro de 2016

A ODONTOLOGIA EM SERGIPE

   



No alvorecer do Século XX exerciam a profissão de dentista em Aracaju os Drs Nóbrega, Genésio, Jovino Pinto, Aristide Napoleão de Carvalho (1901), Magalhães Carneiro e João Rollemberg Junior (1902), Estevam Magalhães (1903), Archiminio de Souza, Francisco Travasso (1904), Job Lins de Carvalho (1911), Pedro Amado, Tomaz Bastos, Laura Amazonas (foto), José Ribeiro Cardoso, Nyceu Dantas e Júlio Sampaio. Ofereciam aos seus pacientes os seguintes serviços: obturações a granito, platina e a ouro solila. Colocavam pivot e coroas de ouro. Faziam extrações simples e c ompulverisador de ether e cloroetila. As duas últimas denominavam “extração sem dor” e cobravam dez mil reis. Não empregavam para a extração de dentes as injeções de cocaína e os seus sais. Usavam corretamente as serras de aço ou de ferro, para separar os dentes, e os tártaros eram exytaídos com ferrinhosque eles mandavam fabricar. Empregavam sempre após as extrações o percloreto de ferro, e davam ao cliente para a lavagem da boca: água, vinagre e sal, e recomendavam o uso dessa formúla, durante o dia da extração.